Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Como quem não quer A Coisa

Como quem não quer A Coisa

13
Mar21

Fábula #17

O Coiso

0726BA65-DE82-4BCC-8730-0164CF8F22EE.jpeg

Fim de semana primaveril. Lá fora, os passarinhos cantam e o vento sopra com força. 

Acordei da minha sesta e dirigi-me à casa de banho, apenas para te encontrar no banho a masturbares-te. Estavas tão concentrada no acto que nem me viste, por isso deixei-me ficar na soleira da porta, a espreitar-te. Gemias baixinho, uma mão na borda da banheira, a outra no teu tesouro.

Começo a sentir o sangue a entumecer-me e uma sensação boa na minha mente, por isso dispo-me e começo, também eu, a masturbar-me devagar. Ver-te estava a deixar-me super excitado mas não te queria interromper, pelo menos para já.

Começas a arquear as costas e a respirar mais depressa, o orgasmo a chegar. E eu ali a ver-te, duro e pronto a vir-me também. Após o teu orgasmo não resisto e entro na casa de banho, de membro erecto e vontade bem explícita. Pego em ti ao colo e levo-te, a pingar, para a cama.

Agora, vamos ter uma conversa os dois...

09
Mar21

Rain...

O Coiso


5A8C3BB2-68F5-4A5F-9D43-65E97BF1782A.png

Chove lá fora.

A discussão de hoje ainda soa nos meus ouvidos enquanto ouço as bátegas nas janelas e vejo pelo canto do olho o relampejar da trovoada. Sentado no sofá, seguro um cigarro na mão direita e um copo de licor na esquerda. Não sou fã de nenhum deles mas hoje apeteceu-me. A roupa ensopada cola-se-me ao corpo e o cabelo húmido liberta gotas pela minha testa abaixo.

Estou sozinho em casa. Algures na cidade, procuras uma cama para passares a noite, pois já não é comigo que queres estar. Disseste-mo há poucas horas, com ar sério e expressão fria, "vou deixar-te, porque isto já não vai a lado nenhum". Como sempre, não te respondi, apenas virei novamente a cabeça para o programa que estava a ver e carreguei no play. E tu desta vez não choraste. A chuva não esteve nos teus olhos. Nem nos meus.

No fundo, ambos sabíamos disso, só o adiámos. E odiamo-nos por isso.

À noite, já não querias que te tocasse e não me procuravas quando me deitava mais tarde. As poucas vezes que fazíamos... amor? sexo? coito? era maquinalmente. Um copo de água para matar a sede, apenas. Não uma urgência como no início.

E a culpa? Não há. Nunca houve. Duas pessoas com rumos diferentes, com ideias e perspectivas opostas, tão diferentes que se atraíram numa festa de amigos comuns e não mais se largaram. Tão burras que não perceberam que a água e o azeite não se misturam. Por muito que chova sobre as oliveiras...

E agora aqui estou, com um cigarro numa mão, um licor na outra, ensopado depois ter saído para sentir a chuva cair sobre mim. Para quê? Para fingir que caía dos meus olhos. Que era salgada e que vinha do coração. Mas nunca fui bom a fingir. Só enganei uma pessoa, com este teatro. Ou tentei...

Parece-me que está a começar a chover outra vez. Desta vez vem da minha alma... E dói!

07
Mar21

Aguardando

O Coiso

53B25934-B9FB-49F8-B643-9EEAD6491128.jpeg

É assim que te imagino, sempre! Bela, nua, sensual, aguardando. O quê, perguntas? Não sei bem se a mim ou outro, se este ou aquele, se fulano, beltrano ou sicrano. Simplesmente aguardando que chegue o Alazão onde serás Amazona, sem sela ou arreio, cabeçada ou rédea.

 

03
Mar21

Viagens

O Coiso

70AB1D2C-DCC1-40F3-91D8-DADA9F8E9CF8.png

Poderia ser o álbum do Pedro Abrunhosa, mas não. É mesmo uma das coisas que sinto mais falta. Poder ir viajar para um destino quente, com águas calmas e mornas, com pouca ou nenhuma roupa, com bebidas alcoólicas coloridas para ganharmos coragem líquida.

Noites loucas, de preferência sem dormir, com muito e bom sexo, com muitos carinhos e cafunés, com coisinhas boas e sem horários. Com a barriguinha cheia de comidas com sabores exóticos e diferentes, inebriado e animado, este é o mundo que me faz mais falta.

Outra coisa que me faz falta... passar uma noite a dançar loucamente numa qualquer discoteca, num louco roça roça com desconhecidos, sair exausto e transpirado ao raiar do dia, pegar num iogurte enorme e ir para a beira da água ver o Sol a nascer.

Gosto tanto de viver...

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D